Cariri adere à greve da PM e 22 viaturas já estão paradas na CIOPS em Juazeiro

Braços cruzados

Foto: Guto Vital/ Agência Miséria

Viaturas Interceptadas nas ruas de Juazeiro do Norte, pneus esvaziados e estabelecimentos comerciais que funcionam a noite fechando mais cedo. Foi assim a noite de terça-feira com a deflagração da greve de policiais militares a partir das 21 horas. A Polícia Civil tratou de redobrar ações para garantir a segurança pública estabelecendo até patrulhamento em diversas áreas da cidade, mas não tem pessoal suficiente para cobrir o município.

Pouco a pouco foram chegando a Juazeiro viaturas da PM de diversas cidades do Cariri e um total de 22 já estão paralisadas nas imediações do Vapt-vupt onde funciona a CIOPS (Coordenadoria Integrada de Operações e Segurança). Alguns policiais estavam com o rosto coberto e esposas de vários deles apoiaram às ações. Uma nota prometendo punições atribuída ao Governo do Estado revoltou ainda mais os grevistas e primeiro ponto colocado hoje pela categoria é anistia.

Um porta-voz dos policiais na região do Cariri que optou por não ser identificado disse esperar a compreensão e o apoio da população, afirmando que respeitaram o governador Camilo Santana até onde foi possível. Segundo ele, são cinco anos sem reajuste salarial e corte no plano de saúde quando os PMs tem procurado economizar para tentar sobreviver. O mesmo comentou ainda sobre estressante garantindo a redução nos índices de criminalidade no Cariri.

Segundo lembrou, a região ficou praticamente imune aos ataques criminosos que aconteceram no Ceará devido aos esforços da Polícia Militar no Cariri. De acordo com o porta-voz na região são cinco anos sem reajuste e o governador “tentou enganar” a categoria com a lei de promoções na qual, por exemplo, a mudança de Soldado para Cabo representa algo em torno de R$ 50,00 a mais no salário. Além disso, reclamam contra a carga horária definida em lei tornando as folgas como duvidosas.

A proposta da categoria é que o reajuste anunciado pelo estado seja pago em parcela única e a criação de um escalonamento salarial por períodos determinados para que não fique, novamente, tanto tempo sem reajustes. Em Juazeiro do Norte, foi criada uma estrutura de apoio no vapt-vupt para acolher os policiais que estão tendo as viaturas recolhidas. A manhã de quarta-feira no Cariri já começou com uma cara diferente com muitos empresários em dúvida se abrirão ou não os seus estabelecimentos.




Fonte Site Miséria
Texto Demontier Tenório

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu celular ou computador, inscreva-se agora.

Comentários
Carregando...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Saiba mais