Crime aconteceu na casa de "Teidinha" na Rua Edite Teles em Crato. Foto: Reprodução/ Google Maps

Um crime de feminicídio foi registrado por volta das 10h30min desta quinta-feira em Crato se constituindo no segundo do ano naquele município e 12º em toda a região do Cariri. A ex-presidiária Francineide Jucá, de 39 anos, que era conhecia por “Teidinha”, foi morta com quatro tiros dentro de sua casa na Rua Edite Araújo Teles (Bairro Vila Lobo) em Crato. Uma patrulha da PM esteve no local, mas ninguém soube informar sobre a autoria do crime.

A vítima era usuária de drogas e tinha inúmeras passagens pela polícia, sendo a primeira delas em maio de 2001 quando passou a responder procedimento por um aborto praticado. Em julho de 2008 foi lesionada por Bartolomeu Barbosa, enquanto em dezembro de 2010 praticou furto que teve como vítima Antonio Henrique do Nascimento e em janeiro de 2011 lesionou Cícera Aldinete.

Já no mês de junho daquele mesmo ano a justiça de Crato determinou a instauração de incidente de sanidade mental da acusada de crime. Em 2012 passou a responder procedimento em segredo de justiça, em janeiro de 2013 por danos, em setembro de 2014 maus tratos contra os próprios pais, em janeiro de 2018 furto que teve como vítima Josimar Varela Lima e, este ano, ameaças contra Terismar Varela e Rita Jucá dos Santos.

O assassinato de “Teidinha” aconteceu exatamente nove meses após o outro crime de feminicídio registrado em Crato. No último dia 28 de fevereiro a jovem Geane Tavares de Souza, de 29 anos, que residia na Rua Sagrada Família no centro, foi morta a tiros perto da Prefeitura de Crato. O acusado do crime foi o seu ex-companheiro o vigilante Paulo Roberto Carlos Ramalho, de 34 anos, que residia na Rua São Francisco (Bairro Pinto Madeira), e praticou o suicídio.




Fonte Site Miséria
Texto Demontier Tenório
Comentários
Carregando...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Saiba mais