Preso em Nova Olinda o novo diretor do Demutran

Mais um

Prisão de “Diassis” aconteceu no início da tarde de ontem (Foto: Reprodução/ Redes sociais)

O novo diretor do Demutran (Departamento Municipal de Trânsito) de Nova Olinda, Francisco de Assis Miguel Sampaio, de 40 anos, foi preso no início da tarde desta terça-feira. A determinação foi do Ministério Público por conta da liberação de forma irregular de um veículo apreendido. Ele se apresentou no fórum de Nova Olinda e o Promotor de Justiça, Daniel Ferreira de Lira, determinou que fosse trazido para autuação na 19ª Delegacia Regional de Polícia Civil de Crato.

Por volta das 18h30min de ontem, Diassis – como é conhecido – terminou submetido a exame cautelar na Perícia Forense (Pefoce) do Cariri e recolhido à cadeia pública de Juazeiro. Irregularidades envolvendo o Demutran e o município de Nova Olinda não são fatos novos. No último dia 4 de junho o Ministério Público denunciou o secretário de Urbanismo e Obras, e o coordenador de Transportes do Demutran, João Paulo Silva Sampaio e Cícero Kedyson Queiroz da Silva.

Eles foram presos na operação “Sinal Verde”, em maio de 2019, a qual investiga diversas irregularidades no Departamento de Trânsito, passando por crimes de peculato-furto, inserção de dados falsos em sistemas de informações, prevaricação, advocacia administrativa e extravio de documentos públicos. Em um dos casos, o secretário João Paulo interferiu para evitar que multas cometidas por um familiar fossem emitidas e inseridas no sistema, inclusive, coagindo agente de trânsito que se recusou a atender.

Outro caso investigado relata que Cícero Kedyson procurou o dono de uma moto apreendida por ele com documentação irregular em novembro de 2018, para “comprar” o veículo, alegando que “não compensava pagar as multas”. Após pagar R$ 500,00 pela moto e a retirada do depósito do Demutran, o agente público suprimiu o termo de remoção dos arquivos do órgão, destruindo, portanto, documento público em benefício próprio.

MAIS BRONCAS – Antes. no dia 7 de março, o juiz de Nova Olinda, Herick Bezerra Tavares, condenou o ex-secretário de Saúde Pedro Neto de Souza, pela prática de ato de improbidade administrativa consistente em dano ao erário e violação aos princípios da administração pública. Além dele, Francisco Wlberlândio de Oliveira por conduta ímproba de enriquecimento ilícito e violação aos princípios da administração pública.

A determinação atendeu a uma Ação Civil Pública promovida pelo promotor de Justiça, Daniel Ferreira. Na sentença, o juiz aplicou aos réus as penalidades de ressarcimento integral do prejuízo causado, pagamento de multa, proibição de contratar com o poder público, suspensão dos direitos políticos e perda da função pública, além de pagamento, a título de dano moral coletivo, de R$ 20 mil. A ação foi com base num Inquérito Civil que apurou a improbidade na contratação de Francisco Wlberlândio para prestar serviços de consultoria técnica com dispensa de licitação.

Fonte Site Miséria
Texto Demontier Tenório

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu celular ou computador, inscreva-se agora.

Comentários
Carregando...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. AceitarSaiba mais