Mais duas garotas presas com drogas em Crato e Juazeiro, sendo uma com tornozeleira

Mulheres do tráfico

Drogas apreendidas no bairro Batateiras em Crato, enquanto Ana Raquel estava com cocaína e maconha no Frei Damião em Juazeiro (Foto: Reprodução/ Redes Sociais)

Novas operações de combate ao tráfico de drogas resultaram nas prisões de duas mulheres em Juazeiro do Norte e Crato. Por volta das 20 horas desta quarta-feira a polícia soube do funcionamento de uma “boca de fumo” na Rua Luiz de Freitas Roque (Frei Damião) em Juazeiro e a equipe RAIO 06 foi lá se deparando com Ana Raquel Monteiro Leite, de 32, ali residente, e sua prima Júlia Hestephanny Monteiro Leonel de Melo, de 20 anos, que mora no bairro Planalto em Parnaíba (PI).

Na casa os PMs encontraram 240 gramas de cocaína, 135 de maconha, balança de precisão, celulares, uma moto Kawasaki e R$ 507,00. Ana Raquel usava tornozeleira e informou que as drogas pertenciam a seu esposo que estaria viajando e que o mesmo responde por furto. Ela foi autuada por tráfico de drogas e sua prima ouvida como testemunha. Em abril de 2013 Ana foi indiciada por assalto contra uma lotérica em Farias Brito com mais nove pessoas e condenada por tráfico de drogas em Milagres.

Antes, na tarde de terça-feira, as equipes RAIO 01 e Fiscal estiveram na Avenida JPB de Menezes (Batateiras) em Crato, onde Rafaela Ferreira Silva, de 18 anos, residente na Rua Monsenhor Tavares daquele bairro, tentou se desfazer de algo. Com ela os PMs encontraram cinco buchas de maconha, 10 pedras de crack, dinheiro e um celular. Em agosto de 2014, no bairro Seminário em Crato Rafaela tinha 14 anos e foi agredida por dois mulheres em virtude de fofocas com o seu namorado.

CONDENAÇÃO – Quanto a Ana Raquel, esta foi condenada a 24 anos de prisão pela Comarca de Milagres e, no dia 15 de julho de 2014, a 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça negou o pedido para apelar em liberdade numa decisão que teve a relatoria da desembargadora Maria Edna Martins. A condenação se deu por crime de tráfico de drogas, associação ao tráfico e lavagem de dinheiro já que, no dia 5 de junho de 2013 ela foi presa juntamente com sua mãe, Maria Luisa Monteiro Leite.

Naquela data, policiais civis cumpriram mandados de prisão temporária e de busca e apreensão em algumas cidades do Cariri, sendo que as duas já eram investigadas ante as suspeitas da venda de drogas no Cariri. Na casa delas na Avenida Gilvan Moraes no Centro de Milagres, foram apreendidas 20 gramas de maconha, oito celulares e vários comprovantes de depósitos bancários com valores entre R$ 200 e R$ 7 mil. Ainda de acordo com os autos, estavam enterrados no quintal 4,5 Kg de um pó branco.

Ao ser pronunciada, Ana Raquel disse não saber sobre a existência dos entorpecentes e, em relação aos depósitos, afirmou pertencerem ao seu irmão Rafael Monteiro Leite, de 32 anos, o “Rafa”, que cumpre pena por tráfico de drogas na PIRC (Penitenciária Industrial e Regional do Cariri) em Juazeiro. O juiz Douglas José da Silva, da Comarca de Milagres, condenou Ana Raquel lhe negando o direito de apelar em liberdade. Para ele, as provas apresentadas eram suficientes no sentido de revelar a existência dos crimes.

Fonte Site Miséria
Texto Demontier Tenório

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu celular ou computador, inscreva-se agora.

Comentários
Carregando...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. AceitarSaiba mais

X