Ex-presidiário acusado de vários crimes morre com tiro no peito em uma tentativa de assalto em Icó

Morte de assaltante

Uma tentativa de assalto a um caminhão às 16 horas desta terça-feira, no sítio Santo Estevão, distrito de Cruzeirinho, distante 25 quilômetros da sede do município de Icó, acabou na morte do assaltante. Segundo populares, o ex-presidiário Luciano Soares da Silva, de 30 anos, conhecido por ´Pelado´, estava pilotando uma moto preta, Honda Fan CG 125 KS, 2012, de placa OST 0918, e tentou assaltar um caminhão distribuidor de gás de cozinha, ocupado pelo motorista e o ajudante, não identificados, e abriu fogo contra o veículo, onde um dos disparos acertou de raspão a cabeça do ajudante.

O motorista revidou os disparos e matou Luciano com um tiro a altura do peito esquerdo. A arma do assaltante teria sido levada pelo motorista do caminhão com o auxiliar.

A moto de Pelado foi encaminhada para a delegacia de polícia para ser periciada. Policiais Militares e os inspetores Hugo, Rafael e Márcio Lima estiveram no local arrolando testemunhas e realizando os primeiros levantamentos de praxe.

O inquérito policial da tentativa de assalto que resultou na morte do assaltante ficará a cargo do delegado regional de polícia civil de Icó, George Alexandre Irineu Segundo.

Crimes

No dia 21 de agosto de 2015, uma sexta-feira pela manhã, o pedreiro João Rodrigues Pereira, conhecido por Arnaldo, que tinha 69 anos e morava no sítio Mandacarú, em Icó, foi encontrado morto dentro de um saco por lavadeiras de roupas, as margens do rio Jaguaribe, no sítio Caraúbas, município de Orós. Ele estava em estado de decomposição, com as mãos e os pés amarrados com a boca amordaçada. O corpo de Arnaldo foi encontrado no local onde sua ex-companheira residia.

O pedreiro tinha sido visto pela última vez no dia 16 de agosto daquele ano pela manhã dizendo que iria para Orós e desapareceu. A polícia de Orós iniciou diligências na época, e chegou a “Pelado”, como sendo o principal suspeito do crime.

Luciano foi preso e passou pelo menos 3 anos na cadeia de Orós. No ano passado, foi julgado e absolvido pela falta de provas, constando apenas indícios que supostamente seria o autor do delito.

Luciano Soares respondia em Icó, por assaltos, porte ilegal de arma de fogo e era suspeito de furtos e outros delitos. O corpo do ex-presidiário foi encaminhado de Icó para ser necropsiado no IML de Iguatu.

Fonte Site Miséria As informações são do correspondente Richard Lopes

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu celular ou computador, inscreva-se agora.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. AceitarSaiba mais