Morre no HRC vigilante que atirou na boca após matar a ex-mulher em Crato

Não resistiu

Exatamente cinco dias após matar sua ex-companheira em Crato e atirar na sua própria boca, o vigilante Paulo Roberto Carlos Ramalho, de 34 anos, morreu num dos leitos do Hospital Regional do Cariri em Juazeiro. Ele morava na Rua São Francisco (Bairro Pinto Madeira) em Crato e o óbito se deu por volta das 18 horas ou o mesmo horário em que matou sua ex-mulher na última quinta-feira, dia 28 de fevereiro.

A jovem Geane Tavares de Sousa, de 29 anos, residia na Rua Sagrada Família no centro de Crato, e foi baleada nas costas e na cabeça quando passava na Rua Dom Pedro II ao lado da prefeitura. Ela morreu no local momentos após sair da Farmácia Vasconcelos onde estagiava das 14 às 18 horas enquanto fazia o curso técnico em farmácia. Ele tentava reatar o relacionamento contra a vontade da jovem.

A última mulher assassinada em Crato tinha sido Cidcleide Bezerra Campos, de 41 anos, morta com uma facada no dia 16 de setembro pelo ex-marido Francisco Zilmário Figueiredo da Silva, de 48 anos, o ”Mário Mecânico”, que tentou o suicídio dentro da casa dela no bairro São Miguel. O casal estava separado, pois o relacionamento era conflituoso e ele foi tentar reatar o relacionamento. Mário se auto-esfaqueou no pescoço e foi internado sob escolta da PM no Hospital São Camilo.

Fonte Site Miséria
Texto Demontier Tenório

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu celular ou computador, inscreva-se agora.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. AceitarSaiba mais