Resgate de meninos presos em caverna pode levar meses, diz Marinha da Tailândia

Grupo foi localizado

Vídeo da Marinha da Tailândia mostra jovens isolados em caverna durante o resgate (Foto: Marinha da Tailândia/Reprodução/Facebook)

Os 12 meninos e seu treinador de futebol isolados pela água há nove dias em uma caverna inundada na Tailândia receberão alimentos para quatro meses e aulas de mergulho, anunciou a Marinha nesta terça-feira (3).

“Vamos nos preparar para enviar mais alimentos para ao menos quatro meses e ensinar os 13 (membros do grupo) a mergulhar, enquanto seguimos retirando a água”, informou o comandante Anand Surawan, da Marinha tailandesa.

Os meninos, com entre 11 e 16 anos, e seu treinador, 25, foram localizados na noite de segunda (2) – sãos e salvos – no interior da caverna, cuja saída foi bloqueada por inundações há nove dias. Mas segue chovendo muito na região, o que dificulta qualquer operação de retirada da água do complexo de cavernas.

O grupo está debilitado. Um vídeo gravado pelos socorristas e publicado no Facebook mostra um grupo de meninos magros, vestidos com camisas de futebol sujas de lama, refugiados em uma saliência da caverna cercada pela água.

Os 12 meninos e seu treinador de futebol que estão presos em uma rede de cavernas na Tailândia podem precisar aprender a mergulhar ou ter que esperar meses até que as cheias retrocedam, segundo o Exército do país, envolvido na operação de resgate.

O grupo foi encontrado por mergulhadores. Eles estavam refugiados em uma área elevada dentro do complexo de cavernas, que não foi inundada. Mas não é possível retirá-los do local, já que os acessos estão cheios de água.

Neste momento, o objetivo das operações de resgate é levar, além de comida, suprimentos médicos para dentro das cavernas.

O complexo de cavernas, localizado na província de Chiang Rai, no norte da Tailândia, costuma ficar inundado durante o período de chuvas, de setembro a outubro.

Caso seja preciso retirar os 13 rapazes da caverna antes do fim da temporada de chuvas, eles podem precisar a aprender técnicas básicas de mergulho, para conseguirem passar por segurança pelos perigosos corredores subterrâneos, cheios de águas lamacentas, com visibilidade zero.

Já a tentativa de bombear a água para fora das cavernas, permitindo a passagem do grupo, não foi bem sucedida até agora.

Entenda o caso

As crianças e o jovem técnico de futebol sumiram após um treino no dia 23 de junho. Eles entraram na caverna Tham Luang, no distrito de Mae Sai, perto da fronteira com Mianmar, para se abrigar do tempo ruim. O treinador, Ekkapol Janthawong, e os menores – de 11 a 16 anos – conheciam bem o lugar, segundo as autoridades tailandesas.

Bicicletas, calçados e outros pertences dos desaparecidos foram encontrados na entrada da gruta por um grupo de oficiais do Parque Natural Tham Luang-Khun Nam Nang, na província de Chiang Rai.

As equipes de resgate procuravam pelo grupo apoiadas por militares, policiais, mergulhadores e analistas internacionais. As buscas foram dificultadas por chuvas e inundações, que bloquearam a entrada principal da caverna de aproximadamente 10 km de comprimento. As galerias “inundadas” teriam impedido que as pessoas presas deixassem o local.

As equipes buscavam entradas alternativas e usaram 20 bombas para extrair a água nas partes inundadas. Durante as buscas, a polícia lançou kits de sobrevivência com água, comida e remédios através de um duto escavado na encosta da montanha, sem saber se haveria alguém para recebê-los.

Fonte G1 Site Miséria

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu celular ou computador, inscreva-se agora.