Relíquias do Beato Antônio Frederico Ozanam passa por Missão Velha

Peregrinação

As relíquias do fundador da Sociedade São Vicente de Paulo, beato Frederico Ozanam, está em peregrinação por todo o pais. Beatificado pelo papa João Paulo II no ano de 1997, o beato precisa da comprovação do vaticano de um milagre ocorrido na Venezuela, para a partir de então se tornar santo pela igreja católica.  As relíquias chegaram ao estado do Ceará no dia 19 de maio, passando pelas cidades de Várzea Alegre, Crato, Barbalha, Missão Velha, icó e Fortaleza.

Na cidade de Missão Velha as relíquias chegaram no último dia 22, as 17:00h, na Sociedade São Vicente de Paulo – SSVP de Missão Velha, onde foi recebido pelo padre Cicero Mariano, vicentinos e Grupo Missão da Providência. No dia seguinte as relíquias seguiram para a capela de Santo Expedito no Casemiro Farias, onde permaneceu até as quinze horas, após momento de oração seguiu para o santuário da Mãe Rainha onde aconteceu um momento de adoração ao Santíssimo Sacramento e orações pela canonização do beato Frederico Ozanam, o momento foi encerrado as 19:00h com uma missa na matriz de São José. As relíquias pernoitaram na casa das irmãs Guanelianas de onde as nove horas da manhã de hoje (24/05) saiu para a cidade de Icó.

Conversamos com confrade, Sr. Bosco André, que nos falou um pouco da história do Beato Frederico Ozanam.

“Frederico foi o fundador das conferências vicentinas no âmbito mundial, ele tinha apenas 20 anos quando as fundou, juntamente com 6 companheiros de faculdade. Em 1853 já era falecido, mas suas ações já estavam por quase 50 países, hoje estamos em 156 países. Missão Velha recebeu as conferencias em de 4 de julho de 1886, sobre a tutela do padre Felix Aurélio Arnor Formiga que era vigário da época. ” Disse Bosco.

O que é a relíquia? 

Moradores do Casemiro Farias venerando as relíquias do Beato Antonio Frederico Ozanam (Foto: José Wislon / Site MV MAIS)

A relíquia é um pedaço de linho na cor creme, que Ozanam usava quando foi enterrado. O tecido fazia parte de um manto que envolvia seu corpo segundo um ritual típico dos franciscanos; afinal, ele participava da Ordem Terceira Franciscana.

Ao realizar a exumação do corpo (1929), a família do bem-aventurado autorizou que o Conselho Geral Internacional retirasse uma parte do linho para transformá-lo em pequenas relíquias. Uma delas foi doada ao Conselho Nacional do Brasil – CNB durante a posse do atual presidente da instituição. Será esta imagem que peregrinará pelo Brasil.

O objeto é visto como uma forma de manter a memória de Ozanam sempre viva é como um item de veneração para os crentes.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu celular ou computador, inscreva-se agora.