Possível escalação irregular do Vasco acirra disputa na zona rebaixamento

Polêmica

Clayton participou de sete jogos com a camisa do Vasco (Divulgação/Vasco)

O desfecho da Série A do Brasileiro pode ser realizado nos tribunais. A polêmica tem como foco uma possível escalação irregular do Vasco, que ocupa a 10ª posição e soma 44 na pontuação. Em caso de punição, o Cruz-Maltino tem possibilidade de perder até 21 pontos, o que influenciaria na disputa contra a zona de rebaixamento.

O motivo da discussão é a escalação do atacante Clayton, que entrou em campo sete vezes pelo time carioca. O problema é que o jogador pertence ao Atlético/MG e foi relacionado em duas ocasiões para defender o Galo, ficando apenas no banco de reservas. Depois, foi cedido por empréstimo ao Bahia, onde atuou em uma partida antes de ser novamente emprestado, agora para o time de Vanderlei Luxemburgo.

Desta forma, a acusação é a de que o atleta teria defendido três times em uma mesma edição da 1ª divisão, algo que fere o Regulamento Geral das Competições (RGC). Segundo o GloboEsporte.com, o debate foi proposta por dirigentes de clubes envolvidos na briga pelo Z-4, não indentificados pela reportagem.

A pressão entre os cartolas deve acarretar em uma investigação, como ocorreu em 2014, quando o América-MG perdeu seis pontos na Série B por escalar o lateral Eduardo. A pena foi aplicada porque o atleta tinha entrado em campo por São Bernardo e Portuguesa.

O que a lei diz?

O artigo 46 do RGC explica que: “o atleta que já tenha atuado por 2 (dois) outros clubes durante a temporada, em quaisquer das competições nacionais coordenadas pela CBF e integrante do calendário anual, não pode atuar por um terceiro clube, mesmo que esteja regularmente registrado”.

A discussão então envolve a expressão “atuar”, que abre precedentes entre entrar em campo ou ser relacionado e ficar no banco de reservas. O fato é que Clayson defendeu Bahia e Vasco durante partidas do Brasileirão e ficou disponível no Atlético-MG. Como o time carioca foi o último a contar com o atleta, seria o passível de punição.

Dentre as penalizações, o artigo 214 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) prevê multa entre R$ 100 e R$ 100 mil, além da retirada de pontos equivalente ao número de vezes que o jogador foi relacionado pelo clube acusado.

Números de Clayton no Série A do Brasileiro de 2019

Jogos: 8 (sete no Vasco e um pelo Bahia)
Minutos: 135
Relacionado: 15 vezes (sendo duas pelo Atlético/MG)




Fonte Diário do Nordeste Site Miséria
Comentários
Carregando...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Saiba mais