“Doença misteriosa” que atinge mais de 500 pessoa na Índia é causada por água contaminada

A doença misteriosa na Índia que afetou mais de 500 pessoas é causada por ingestão de água contaminada por chumbo e níquel (Foto: Arun SANKAR / AFP)

A informação foi anunciada pelo governador do estado de Andhar Pradesh, onde fica a cidade com maior concentração de casos. O surto da doença na Índia ocorre desde o último sábado e causou a morte de uma pessoa

A tensão sobre a saúde pública mundial, já intensa por causa da pandemia de Covid-19, havia se intensificado diante de um crescente número de internações na cidade Eluru, na Índia, por conta de uma doença desconhecida. A causa, porém, foi revelada na tarde desta terça-feira, 8, pelo governo local. Segundo informações divulgadas em relatório do Instituto de Ciências Médicas da Índia (AIIMS), as mais de 500 internações nos últimos cinco dias tiveram como causa a ingestão de água contaminada por altas concentrações de chumbo e níquel.

As informações foram confirmadas pelo jornal local Times of India, que obteve acesso ao documento. Além disso, o governador do estado de Andhar Pradesh, Jagan Moran, fez um pronunciamento público sobre o assunto ainda nesta terça-feira, frisando que a água contaminada estava sendo apontada como a responsável pela doença até então misteriosa. Os agentes causadores da enfermidade também foram encontrados em alimentos consumidos pelos doentes, como o leite.

O surto da doença ocorre desde o último sábado e causou a morte de uma pessoa. Dentre os sintomas, segundo relatório do AIIMS, estão ataques epiléticos de 3 até 5 minutos, náuseas, vômitos, perda de consciência repentina, alterações na memória, picos de ansiedade e dores na cabeça e costas. A hipótese de ser uma infecção viral ou mesmo uma mutação do vírus causador da Covid-19 já havia sido descartada.

Ao todo, 505 pessoas apresentaram os sintomas e deram entrada hospitalar com casos moderados e graves. Segundo informações do governo federal da Índia, do total, 307 já se recuperaram e voltaram para casa, enquanto 120 seguiam em tratamento nos hospitais de Eluru e outros 19, por serem mais graves, foram transferidos para unidades de saúde de cidades vizinhas.

Relatórios mais detalhados estão sendo produzidos por entidades de vigilância sanitária e saúde nacionais e internacionais, como a Organização Mundial de Saúde (OMS), afim de encontrar a fonte de poluição e evitar que novos surtos aconteçam.

Diante da pressão internacional para encontrar os responsáveis pela contaminação dos reservatórios da região, o governo indiano, por sua vez, manteve a diplomacia e aceitou receber um enviado da OMS para atuar na linha de frente das investigações. Em contrapartida, frisa junto aos governos estaduais e municipais que não há razão para pânico.

Uma intervenção sanitária está sendo desenvolvida e implementada gradualmente pelo governo federal da Índia de modo que os reservatórios de água de Eluru e das cidades vizinhas sejam fiscalizados. Outro foco é orientar a população sobre as características da água potável e de como evitar a ingestão de materiais contaminados.




Fonte O Povo

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu celular ou computador, inscreva-se agora.

Comentários
Carregando...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Saiba mais